É Tempo De Construir Uma Nova Civilização



Foi exatamente no intervalo crucial das duas grandes guerras mundiais ocorridas no século 20 (1914–1918 e 1939–1945) que surgiu em Córdoba, em 11 de agosto de 1930, a escola precursora de Logosofia, assinalando, precisamente, a decadência da cultura vigente em seus aspectos moral, intelectual e espiritual, e lançando, ao mesmo tempo, as bases fundamentais para o nascimento de uma nova civilização – que o autor da ciência logosófica, pensador e humanista Carlos Bernardo González Pecotche –, denominou “Civilização do Espírito”.

A Logosofia celebra os 91 anos da trajetória desse extraordinário movimento em prol da superação humana, apresentado pontos centrais e relevantes que mostram a originalidade desse novo pensamento, que não guarda qualquer relação com teorias ou filosofias antigas ou contemporâneas, nem com nenhuma forma de credo religioso ou ideológico, pois vem, precisamente, afirmar que a troca do crer pelo saber constitui a pedra angular para dar nascimento a uma nova forma de pensar, conceber e sentir a vida.

Em síntese, é com a conquista de verdadeiros conhecimentos sobre a origem, a vida e o destino do ser humano que teve início e haverá de consolidar-se uma nova etapa na trajetória da humanidade, vinculada, desta vez, não apenas ao conhecimento científico material, mas também ao conhecimento científico no plano transcendente e superior da existência humana, começando pelo conhecimento da psicologia de si mesmo, isto é, dos sistemas mental, sensível e instintivo que a constituem.

Realidade basilar desta nova cultura é a descoberta e a clara demonstração da existência de um mundo mental, tão real quanto o físico, ou seja, o território imaterial onde nascem, vivem e atuam os pensamentos, capazes de promover tanto a grandeza como a miséria da vida humana. Fica claro nessa nova investigação que os pensamentos não são entidades abstratas, mas sim entidades psicológicas com vida própria.

A par disso, são dadas a conhecer as Leis Universais, que regulam diretamente a vida humana, mesmo que ainda sob o desconhecimento geral, como as leis de evolução, causa e efeito, movimento, correspondência, herança, entre outras que são acessíveis à própria inteligência, propiciando a harmonização da vida individual com tais leis, que regulam não somente os processos humanos, mas todas as instâncias micro ou macrocósmicas da vida universal.

Demonstra igualmente que, pelo conhecimento e aplicação dessas leis à própria vida, o homem pode e deve tornar-se o redentor de si mesmo, mediante um processo de superação interna.

São múltiplas, pois, as razões para confiar numa profunda mudança de rumo no caminho da humanidade presente e futura, equilibrando-se o espetacular progresso técnico e científico já alcançado com o crescimento interno psicológico e espiritual dos seres humanos, ou seja, com a adoção de princípios e conceitos condizentes com uma cosmovisão em que o homem adquire, com sua consciência individual despertada, o contato permanente com a consciência universal de que faz parte.

Por Carlos Bernardo González Pecotche
91 anos de Logosofia no mundo
www.logosofia.org.br
WhatsApp (24) 988421575

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer