A terra brasileira

Nela se constrói uma nação


No tocante ao homem civilizado e a relação utilitária que esta espécie mantêm com a natureza, os componentes dos ecossistemas viram objeto de apropriação e passam a ser considerados como recursos naturais.

O sol vira energia solar que, além de movimentar os sistemas climáticos mundiais e toda a vida na terra, pode ser canalizada e manifestada como energia fóssil, elétricos, etc.

O ar, além de funcionar como matéria-prima para algumas indústrias, tem como principal função do processo de apropriação o fato de ser considerado a lixeira planetária opcional ao oceano.

Uma mistura imensa de gases e partículas em suspensão tem modificado completamente a composição da atmosfera.

Em um primeiro momento constataram-se os conhecidos efeitos estufa e o buraco da camada de ozônio (tão badalada, quando na realidade ninguém sabe o que é) provocados sobretudo, pela emissão de CO2 – oriundo da queima de combustíveis fósseis, nos países do primeiro mundo.

A água como recurso a serviço da humanidade, serve de lixeira, faz mover máquinas e nos chega por vias comerciais para repor os nossos líquidos corporais, já que 80% do nosso corpo é composto de água.

E sexta-feira, vinte e dois de Abril (22/04/22) é o “Dia da Terra”, e precisamos pensar muito, pois da terra viemos e a terra retornaremos, salve a terra, viva a terra, a qual nossa sobrevivência pertence a ela.

Por Edgar Antunes
Terapeuta Holístico (Corporal) Credenciado
+ Inform. (24) 98844-3377

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer