Funcionária de limpeza é vítima de racismo em banheiro da Universidade de Vassouras

‘Macaca limpa bem limpo' estava escrito ao lado de um absorvente usado colado na parede

Divulgação/Redes Sociais

Uma funcionária de limpeza da Universidade de Vassouras foi vítima de ofensas racistas na noite desta quinta-feira (1).

A frase ‘macaca limpa bem limpo’ foi escrita ao lado de um absorvente que estava colado na parede de um dos banheiros femininos do campus.

De acordo com testemunhas, após presenciar a cena, a mulher deixou o banheiro aos prantos, gritando em desespero.

Segundo informações, a vítima era bastante conhecida na universidade e chamada de ‘tia’ por alguns estudantes.


A universidade procurou a Polícia Civil, que interditou o sanitário para uma perícia e solicitou imagens de câmeras de segurança próximas ao local. Um inquérito para a apuração do caso já foi instaurado.

O reitor da Universidade de Vassouras, Marco Antonio Soares de Souza, acompanhou a vítima para registrar o boletim de ocorrência na delegacia. Segundo a instituição, a funcionária está recebendo apoio psicológico e jurídico.


Estudantes protestam

Reprodução/Valber Matias

Imagens da cena com a ofensa racista se espalharam pelas redes sociais e causaram revolta na cidade. Durante toda esta sexta-feira (2), estudantes de diversos cursos organizaram protestos em repúdio ao crime na entrada da universidade.

Universidade se manifesta

Em nota, a Universidade de Vassouras classificou o ato racista como hediondo e covarde e informou que instaurou procedimento interno disciplinar para responsabilização acadêmica do autor do crime. Leia na íntegra:

"A Fundação Educacional Severino Sombra e a Universidade de Vassouras repudiam de forma veemente o CRIME ANÔNIMO, HEDIONDO E INACEITÁVEL, de racismo praticado de FORMA COVARDE em nossas dependências.

Nossa instituição é irrestritamente comprometida na luta antirracista, não tolera e não tolerará atitudes de incivilidade e discriminação racial.

Aluno(a) e/ou colaborador(a) que for vítima de ato preconceituoso será por nós acolhido(a) e defendido(a) até as últimas consequências.

Somos uma instituição que se orgulha por ser plural e inclusiva, e não mediremos esforços para apurar e punir severamente a(o) responsável por este ato REPUGNANTE!

Nos solidarizamos com o sentimento de revolta dos alunos, funcionários e professores e pedimos a todos e todas que, mais do que alimentarem o sentimento de protesto, se unam ao esforço institucional no combate aos flagelos que são o racismo e o preconceito, de qualquer natureza.

Já acionamos a autoridade policial para início da persecução criminal do(a) autor(a) do fato e instauraremos procedimento interno disciplinar para responsabilização acadêmica do(s) responsável(is)."


Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem