Rio de Janeiro apresenta recorde histórico na abertura de empresas, aponta levantamento feito pela Jucerja

Junta Comercial registra 5.200 novos negócios em abril, maior número em 214 anos de história


A Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja) registrou mais um recorde histórico em seus 214 anos de existência. Contabilizou no mês de abril 5.200 aberturas de empresas em território fluminense, número 5,9% maior do que as constituições no mesmo mês em 2021, que totalizaram 4.908.

De janeiro a abril já são 22.137 novos negócios no Estado, melhor marca de todos os tempos da autarquia, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais (Sedeeri).

No ano passado, no mesmo período, foram registradas 20.322 empresas. O resultado atual representa um aumento de 8,9% no quadrimestre. O total de aberturas de empresas em 2021 foi o melhor da história, com 72.894.

“Esse recorde simboliza o novo momento do Rio de Janeiro e reflete o compromisso do nosso governo com a desburocratização, a simplificação de processos e a melhoria contínua do ambiente de negócios no estado. Também instituímos uma política de segurança pública mais eficiente, responsável pela redução relevante dos índices de criminalidade, e que favorece a atração de novos empreendimentos, que geram emprego e renda para a população", afirma o governador Cláudio Castro.

Rio de Janeiro (2.872), Niterói (343) e Duque de Caxias (219) foram os municípios que mais abriram empresas em abril.

Já a cidade de Petrópolis, fortemente atingida pelas chuvas em fevereiro, aparece na sexta colocação, com 123 novos negócios constituídos no mês.

Esses números levam em conta as sociedades empresárias limitadas, sociedades anônimas, requerimentos de empresários, cooperativas, consórcios e outras sociedades.

“O governo do estado criou condições para que os empreendedores escolhessem o Rio de Janeiro para se instalar ou ampliar suas atividades e o Rio de Janeiro dá indícios de que baterá mais um recorde histórico em 2022”, avalia o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Cássio Coelho.

O presidente da Jucerja, Sérgio Romay, lembra que a autarquia é a única Junta Comercial do país a usar o Biovalid, aplicativo para assinatura de contrato por reconhecimento facial, que, além de rápido, tem um custo de apenas R$ 5 por assinatura.

“Nosso compromisso é com a modernização e desburocratização agilizar os processos e continuar facilitando a vida dos empreendedores na abertura de novas empresas”, afirmou Romay. 

Ascom Segov
Imagem: Divulgaçãofull-width

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer