Compartilhe o amor e a comunhão

Estamos na semana da páscoa e muitas pessoas, quando chega essa época, se preocupam em comprar chocolates e ovos de páscoa para os seus filhos.

Mas sabemos que páscoa não é nada disso; não é chocolates, não é poder comprar os ovos de páscoa caros, e sim um momento para refletirmos sobre nossas atitudes e de como convivemos com a nossa família e com o nosso próximo.

Chocolates, ovos e tantas coisas que colocam para fazer parte dessa data tão importante são apenas o jeito que as pessoas encontraram para ganham dinheiro e estimular o consumismo. Mas será que estou falando alguma coisa que ninguém saiba? Tenho certeza que não.

Na verdade, todos sabemos o verdadeiro sentido da páscoa, do natal e de tantas datas que insistimos em continuar valorizando de forma materialista e consumista. 

Num bairro bastante conhecido de uma cidade grande morava um casal muito querido por todos, eles tinham um filho muito inteligente e educado.

Sempre que chegada uma dessas datas comemorativas o menino ficava muito estranho e triste e por ter esse comportamento as pessoas o viam como uma criança infeliz, mas na verdade ele era uma criança muito feliz e que estava sempre pronto a ajudar.

Certa vez quando estava se aproximando a páscoa seus colegas estavam todos animados e diziam que tinham escolhido os ovos de páscoa e chocolates que queriam ganhar. 

Mas os seus colegas achavam muito estranho que o menino não dizia nada e simplesmente dizia que nada daquilo deveria ser para eles. Os dias foram se passando e a páscoa foi se aproximando.

E finalmente, quando chegou o domingo de páscoa o menino levantou cedo e estava muito feliz, mas não porque queria ganhar chocolates, mas sim porque estava feliz por ter chegado uma data tão especial. 

Sabe o motivo que o deixou tão feliz? É que há alguns anos tinha feito um pedido aos pais de que sempre que chegasse a páscoa ou natal ele gostaria de se reunir com crianças que não tivessem condições e juntamente com suas famílias passariam essas datas juntos compartilhando o que tivessem e agradecendo por estarem dividindo o maior presente que é o amor é a comunhão.

Que a nossa páscoa não seja vista como uma celebração materialista e sim de amor e comunhão uns com os outros.

Por Suzane Ferreira

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer