"Saidinha de Natal": 42% dos presos não retornam aos presídios do RJ

Entre os fugitivos estão traficantes de drogas e assassinos condenados, diz Seap


Cerca de 42% dos presos que foram contemplados com a “saidinha de Natal” pela Justiça não retornaram ao sistema penitenciário do Rio de Janeiro até 30 de dezembro, conforme informou o levantamento feito pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap).

O percentual informado equivale a 522 dos 1.240 detentos que foram beneficiados com a saída de fim de ano.

Entre os presos que não retornaram, estão, na grande maioria, traficantes de drogas, e até 36 assassinos condenados.

O presídio Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, zona oeste do Rio foi o que mais registrou fugas durante o período, com 402 evasões entre 530 beneficiados.

Naquele presídio estão alguns detentos mais perigosos ligados à facção criminosa Comando Vermelho, a maior do estado.

A saída de Natal (nome dado à Visita Periódica ao Lar) beneficia por sete dias (cinco vezes ao ano) os detentos em regime semiaberto e os que trabalham fora do presídio e que já tenham sido contemplados com a medida nos últimos 12 meses, desde que tenham bom comportamento e cumprido, ao menos, um sexto da pena. O benefício é previsto na Lei de Execução Penal.

O Tribunal de Justiça do Rio emitiu nota onde afirma não ter sido formalmente comunicado pela Seap sobre a evasão de presos beneficiados com a saída de visitação à família durante o período natalino.

O TJ-RJ diz que os processos são analisados por uma equipe de juízes da Vara de Execuções Penais e que a autorização do benefício depende do preenchimento de requisitos legais.

O juiz Marcello Rubioli, da Vara de Execuções Penais, segundo o TJ, determinou, imediatamente, que a Seap encaminhe a relação dos presos para análise da situação de cada um dos detentos para autorizar a volta ao regime fechado e determinar a recaptura imediata.

Se recapturados, os foragidos perdem o benefício e voltam para o regime fechado.

Em maio de 2021, durante a semana de saída dos presos, foram registrados 1.551 casos, o número sem saída é de 1.477.

Em junho do ano passado, durante o período de saída o número foi de 1.581 e sem a saída foram registrados 1.498 casos. Com informações do Band Notícias

Foto: Reprodução/ Imagem ilustrativafull-width

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer