Caro leitor, como vai?

Meu nome é Érico Mafra e terei a honra de apresentar a vocês o ciclo de conteúdos logosóficos que selecionamos para o mês de janeiro, sobre um tema especialíssimo:

Pensamentos, Propósitos e a Vida

Cada vez mais, as pessoas manifestam a busca por um propósito para suas vidas. Alguns o identificam em uma vocação profissional, outros em apoiar causas sociais ou realizar um trabalho voluntário.

Mas será que existe um propósito único para cada vida humana? Estaria esse propósito pré-fixado, apenas esperando que o “escolhido” o encontre? Não teria o indivíduo a possibilidade de criar diferentes propósitos e concretizá-los ao longo da trajetória?

Ao tomar contato com a Logosofia, descobri as poderosas funções que a inteligência pode exercer, como as de refletir, imaginar, observar, recordar, pensar e muitas mais.

Também me dei conta de que os pensamentos são forças psicológicas ativas, que posso utilizar para direcionar minhas atitudes e palavras, de acordo com a conduta que quero ter.

Como se não fosse suficiente, aprendi que tenho uma sensibilidade capaz de dar origem a sentimentos que posso cultivar para querer com o coração, não só com a mente.

Passei a realizar as minhas atividades com verdadeiro gosto, por enxergá-las como oportunidades de praticar os valores de que preciso para evoluir como ser humano.

Aliás, esse interesse, por ser melhor a cada dia, se consolidou comoo maior dos propósitos que eu poderia alcançar. Um propósito claro e altamente valioso, próximo da minha realidade e que eu seria capaz de praticar no cotidiano, no trabalho, na família, na interação com os amigos, etc

Desde então, a minha vida passou por mudanças significativas! Passei a criar uma série de propósitos mais específicos, subordinados ao de evoluir de forma consciente. Por exemplo:

· cultivar mais amizades;

· desenvolver virtudes que ainda não tinha;

· corrigir tendências negativas da minha psicologia;

· perder menos tempo com preocupações circunstanciais;

· fortalecer a confiança em mim mesmo;

· adquirir novos conhecimentos para ajudar as demais pessoas;

· e muitos outros!

Aos poucos, esses objetivos vão se integrando às atividades que fazemos e à convivência com o semelhante.

O propósito de realizar um novo projeto profissional, por exemplo, ganha a companhia dos propósitos de administrar bem as próprias energias e aprender a colaborar com os que participam dele junto comigo.

A efetivação de todos esses objetivos fica mais viável quando consigo mudar as minhas atitudes, ao trocar os pensamentos que movem a minha mente.

Para ter êxito no projeto de trabalho que mencionei, por exemplo, eu teria de substituir o pensamento da pressa pelo da paciência, o da rigidez pelo da flexibilidade, e assim sucessivamente.

Por essas e outras, vejo que na consciência de cada ser humano há espaço para muitos propósitos de alto valor, que conferem sentido à sua vida.

Além disso, cada um pode concretizar à sua maneira o principal deles: o propósito de evoluir de forma consciente em suas condições morais e espirituais.

E então, você se anima a nos acompanhar em uma reflexão sobre a relação entre os pensamentos, os propósitos e a vida?

Nas próximas semanas, vamos selecionar conteúdos em que os estudantes de Logosofia do Brasil compartilham suas experiências sobre esses três importantes conceitos.

Você também verá trechos de livros do autor da Ciência Logosófica, onde ele instrui sobre o papel dos propósitos e dos pensamentos na vida. Com uma destas passagens, me despeço por agora:

“É indubitável que todos os seres têm bons propósitos; mas esses propósitos permanecem geralmente estáticos, já que raramente se convertem em realidades. Em consequência, o ser não deve conformar-se em ter bons propósitos; também deverá saber conduzi-los para felizes realizações.”

Abraços,
 
Érico Mafra de Aquino
Docente e estudioso de Logosofia

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer