Sapucaia completa 147 anos de emancipação

Sapucaia, um dos municípios que fazem parte da região de cobertura do Entre-Rios Jornal, completa hoje, 7 de dezembro, 147 anos de emancipação.

A cidade das mangas, como é conhecida, tem seu nome, porém, inspirado em outra árvore: as sapucaias, que têm origem no termo indígena yaçapucaí, das quais já não há mais muitos exemplares na cidade.

As mangueiras, no entanto, enchem a paisagem. Seja nos quintais das casas ou pela rua, principalmente entre outubro e dezembro – meses mais favoráveis à frutificação –, é possível ver os ‘pés’ cheios de mangas.

Além da fruta, que pode ser consumida de várias formas, as mangueiras servem ainda como sombra e enfeitam a cidade. O calçadão que liga a comunidade da Metrama ao Centro, por exemplo, tem mangueiras em toda sua extensão.



Outra árvore que tem destaque na cidade é a figueira. Localizado no centro da cidade, bem próximo à Prefeitura, o enorme exemplar da espécie dá nome a um dos principais espaços públicos da cidade: a praça da Árvore Grande.

No centro da cidade, inclusive, está um dos mais belos pontos turísticos: a antiga estação ferroviária. A estação, inaugurada em 1871, era a última em território fluminense, localizada pouco antes da divisa com Minas Gerais, para onde o trem seguia. O cruzamento era feito pela ponte preta, outra construção de destaque.



Dentre as pontes da cidade, há também a ponte branca – que liga a cidade ao município mineiro de Chiador – e a extinta ponte pênsil, uma das primeiras obras de engenharia do Brasil nesse estilo, construída pela administração da estrada Magé-Sapucaia e inaugurada em 1857.


História da cidade

A história de Sapucaia é intimamente ligada à abertura dos portos brasileiros aos navios das nações amigas de Portugal, no século XIX.

Para o território se deslocaram inicialmente os suíços Inácio Lengruber e Vicente Ubherlarto, aos quais mais tarde foram concedidas algumas sesmarias, cujas áreas abrangiam as terras da atual fazenda de Santo Antônio.

Depois, vieram os portugueses Joaquim de Souza Breves e Antônio de Souza Brandão – que se tornou o Barão de Aparecida –, além do francês Francisco Diogo Perret.

Em razão do afluxo de colonos para a região, rapidamente surgiu pequeno arraial, onde, por iniciativa de Antônio Inácio Lengruber, foi construída uma capela dedicada a Nossa Senhora Aparecida.

Em 1842, o arraial passou à condição de freguesia e ganhou o nome de Aparecida, hoje sede de um dos cinco distritos do município, de mesmo nome.

Em 1856, principalmente devido aos esforços de donos de grandes porções de terras entre os rios Calçado e Paraíba do Sul, surgiu um novo arraial, com o nome de Santo Antônio de Sapucaia, em homenagem ao padroeiro da comunidade.

A rapidez com que o povoado prosperou fez com que, em 1871, fosse elevado a freguesia. Em 1874, através do Decreto 2.068, de 7 de dezembro, passou à categoria de Vila de Sapucaia, constituindo-se sede do novo município, instalado em 3 de abril de 1875.

 
Atualmente, o município tem cinco distritos – sede, Anta, Aparecida, Jamapará e Pião – por onde estão espalhados diversos outros pontos turísticos, como a Igreja Matriz de Santo Antônio, o prédio da Prefeitura e o prédio do Fórum (no centro), a antiga estação ferroviária de Anta e a usina hidrelétrica (em Anta) e a capela de Nossa Senhora Aparecida (em Aparecida).

Por Raí de Castro
Imagens: Reproduçãofull-width

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer