Saúde Mental ganha destaque no mundo dos atletas de alto rendimento



Os holofotes que revelam todo o brilhantismo dos atletas durante as competições esportivas estão dando lugar ao inevitável e desafiador processo de autoconhecimento, destacando a necessidade de os atletas investirem em treinamentos que visem não apenas o desempenho físico, mas que priorizem também as questões relacionadas à saúde mental.

O tema entrou em destaque durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, assim que Simone Biles, estrela dos Estados Unidos, desistiu de competir na final individual geral da ginástica artística. Durante o evento, outros atletas também revelaram que estão sofrendo com quadros de ansiedade e depressão.

“Nós sabemos que o ciclo olímpico ocorre a cada quatro anos e, devido ao período pandêmico, esse ciclo foi quebrado. Os atletas de alto rendimento não tiveram o preparo adequado para as competições.

Uma pesquisa realizada pelo Comitê Olímpico Internacional, em 2020, revelou que 50% dos atletas de alto rendimento, de todos os locais do mundo, tiveram uma queda muito grande de motivação intrínseca e extrínseca.

Isso também é refletido no medo de perder patrocínio, de não conseguir atingir a marca olímpica e, assim, os profissionais têm adoecido.

Na pesquisa, cerca de 56% dos atletas relatam ainda não conseguir treinar com eficiência, uma vez que ficaram em isolamento social e distantes da própria prática esportiva”, explica a psicóloga e educadora física Clévia Sies, coordenadora da Pós-Graduação em Psicologia do Esporte da Unifase.

A pressão gerada pelas competições, vínculos de patrocínio, bom desempenho e uma avalanche de adrenalina, além das preocupações com a própria saúde em um período pandêmico, exigem ainda mais do organismo dos atletas, que acabam entrando em conflito quando o psicológico não está equilibrado.

Inclusive, muitos competidores precisam utilizar estratégias para se apresentarem diante das câmeras, sabendo que estão sendo milimetricamente analisados por milhares de pessoas ao redor do mundo.



“A atleta Naomi Osaka, astro do tênis japonês que acendeu a pira na abertura dos Jogos Olímpicos, desistiu de competir no torneio de Roland Garros e Wimbledon — dois campeonatos Grand Slam, que estão entre os principais no calendário do tênis, por conta de ansiedade. Ela disse que muitas vezes precisa usar fones de ouvido para conseguir competir. Neste momento, a Psicologia do Esporte vem mostrar que o equilíbrio físico e mental é possível, através de técnicas cognitivas e somáticas que trabalhem toda a parte psicológica e física desses atletas de alto rendimento”, destaca a psicóloga.

Neste cenário em que há grande demanda por profissionais especialistas em saúde mental na área esportiva, o Centro Universitário Arthur Sá Earp Neto (Unifase) oferece o curso de Pós-Graduação em Psicologia do Esporte.

A instituição disponibiliza essa especialização aos profissionais de nível superior em Psicologia, Educação Física, Medicina, Terapia ocupacional, Fisioterapia e áreas afins, bem como técnicos e treinadores com ensino superior completo.

“O especialista em Psicologia do Esporte ganhou visibilidade no mercado, pois os atletas precisam reencontrar um equilíbrio emocional para que possam chegar ao ápice de desempenho.

Vale ressaltar que quando estamos falando em Psicologia do Esporte, não são apenas dos atletas de alto rendimento.

Nas categorias de base, as crianças e jovens que estão treinando para se tornarem grandes atletas, vislumbrando um futuro olímpico como meta, também precisam estar em pleno equilíbrio psíquico e emocional.

Além disso, os competidores do paradesporto, paratletas que conseguem alçar voos nas paralimpíadas, e as pessoas que estão na academia, mas não conseguem definir metas e atingir os objetivos, também podem usufruir desse trabalho. Há um amplo campo a ser explorado pelos especialistas desta área”, finaliza Clévia Sies.

Se você tem interesse em se tornar especialista na área de Psicologia do Esporte, não perca tempo.

A próxima turma da especialização da Unifase começa no dia 09 de outubro. Outras informações e as inscrições estão disponíveis no site: www.Unifase-rj.edu.br ou pelo WhatsApp: (24) 98865-7504. 

Fonte: Planeg Publicidade
Foto: Divulgação Planeg Publicidadeleft-sidebar

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer