Ganhadores dos editais de Carnaval recebem certificado no Rio



A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa realizou uma cerimônia para a entrega de certificados aos projetos premiados nos editais de carnaval.

O evento, que aconteceu nesta segunda-feira (17), no Centro Cultural João Nogueira - Imperator, no Méier, Zona Norte carioca, contou com apresentações musicais e de dança.

Ao todo foram aprovados 84 projetos, que receberam R$ 3,8 milhões oriundos do Fundo Estadual de Cultura (FEC).

Os recursos foram destinados às escolas de samba e às associações e ligas de blocos de rua, que este ano foram prejudicados com o cancelamento dos desfiles, em virtude da pandemia.

Para assegurar que os profissionais que atuam na linha de frente do Carnaval sejam beneficiados, as agremiações devem utilizar pelo menos 25% deles no pagamento de pessoal.

Na chamada #NãoDeixaOSambaMorrer, foram incluídas as escolas de samba. Entre as integrantes do Grupo Especial, oito vão receber R$ 150 mil cada para a realização da escolha do samba-enredo, que já começou a ocorrer de forma virtual. As quatro demais já tinham sido contempladas pela Lei Aldir Blanc com o mesmo valor.



Foram também habilitados nove projetos de escolas vinculadas à Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lierj), que receberão R$ 40 mil cada uma.

Outras 55 agremiações ligadas à Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil (Liesb) também tiveram suas propostas aprovadas e vão ser contempladas com R$ 20 mil cada uma.

Representando a Liesb esteve presente o presidente Clayton Ferreira. A Lierj foi representada pelo diretor Bruno Tetê. Já a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) foi representada pelo diretor Elmo José dos Santos.



Para concorrer, os blocos precisavam ser filiados a instituições representativas, que se inscreveram de acordo com o número de associados na chamada pública #BlocoNasRedesRJ.

Foram habilitadas no total 13 entidades representativas, sendo que dessas seis são da capital e sete do interior, somando R$ 1,2 milhão para realizarem atividades carnavalescas virtuais.

A secretária Danielle Barros ressaltou a importância dos recursos chegarem nas mãos dos trabalhadores do Carnaval, que foram duramente prejudicados pela pandemia.

"Nós só somos instrumento para fazer a política pública acontecer. O importante é que esses recursos cheguem à ponta dessa cadeia produtiva e criativa, que encanta o mundo com suas cores e seu ritmo. Neste momento em que a pandemia nos preocupa, estamos garantindo recursos para os artistas do carnaval e uma atração cultural segura para o público poder curtir em casa", declarou a secretária.

Quatro agremiações carnavalescas de Três Rios tiveram seus projetos aprovados: Mocidade Independente de Vila Isabel, Bom das Bocas, Bambas do Ritmo e Sonhos de Mixyricka. Representando a Mocidade da Vila, compareceu à solenidade o diretor de carnaval Flávio Roberto.

O tesoureiro Linderson Zanardi, representou o Bom das Bocas. Bambas e Mixyricka não levaram representantes. Representando a Secretaria de Cultura do município, esteve presente Manoel Neto.

As quatro escolas de samba irão receber o valor de R$ 20 mil cada uma. A cerimônia contou com a apresentação do grupo de choro Caiçara, de Angra dos Reis, dos dançarinos Cris Aguiar e Sandro Santos e do grupo afro Orunmila, entre outras atrações. 

Secom RJ
Imagem: Gui Maia/Secretaria de Cultura e Economia Criativafull-width

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer