Aumento da Selic é ineficiente no controle de preços neste momento, ressalta Firjan

Federação pontua que inflação advém de choques externos e temporários de oferta, e não de demanda. Reforça ainda que atividade econômica já sente os efeitos do ciclo de alta da taxa de juros


A Firjan considera que, apesar de esperado, o décimo aumento consecutivo da taxa Selic, em 1 ponto percentual, é ineficiente e pouco efetivo no controle do nível de preços neste momento.

A atividade econômica já tem sentido os efeitos do início do ciclo de alta da taxa de juros, contudo a inflação não tem dado sinais de abrandamento.

A desorganização das cadeias de produção, provocada pela pandemia de Covid-19, e os impactos derivados da guerra na Ucrânia reforçam que a inflação advém de choques externos e temporários de oferta, e não de demanda.

A nova alta de juros penaliza ainda mais o nível de atividade e reforça a perspectiva de desaceleração econômica em 2022.

Nesse contexto, vale ressaltar que os gargalos da cadeia de insumos mostraram a necessidade de diversificar fornecedores e fortalecer indústrias estratégicas, trazendo a urgência de políticas de longo prazo para a indústria.

Além disso, as incertezas relacionadas ao arcabouço fiscal mantêm elevada a percepção de risco nas contas públicas, que continuam sendo fator de risco para a economia brasileira.

Assim, a Firjan reafirma a urgência na aprovação de reformas capazes de sinalizar uma boa conduta das contas públicas no longo prazo.

A concretização dessa agenda é, portanto, impreterível para a retomada do crescimento sustentável e a manutenção das expectativas de inflação dentro da meta.
 
Divulgação Firjanfull-width

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer