Bom das Bocas comemora hoje 59 anos

Missa na Igreja Matriz será celebrada em homenagem a uma das mais tradicionais escolas de samba de Três Rios

Saudoso Bina Fuzil, fundador da escola, no desfile campeão de 2013, na reedição o enredo “Palmares, Sonho de Liberdade” (foto: Jonair de Christo/ Arquivo)

Redação

Nesta quinta-feira (6), a escola de samba Bom das Bocas, verde e branco do bairro Caixa D´Água, em Três Rios, completa 59 anos de sua fundação. Para comemorar a data, será celebrada uma missa em ação de graças, às 19h, na Igreja Matriz de São Sebastião.


Foto: Jonair de Christo

A diretoria da agremiação convida toda a população trirriense para prestigiar este momento tão importante para uma das mais tradicionais escola de samba do carnaval trirriense. Vale ressaltar, que os diretores pedem para que todos que forem à celebração, estejam trajando blusa/ ou camisa comum nas cores da escola, podendo ser até mesmo alguma camisa de enredo da agremiação.

Uma história de lutas e glórias


Foto: Jonair de Christo

O início da década de 1960, foi um tempo de grandes impactos na história do país. A construção de Brasília - a capital federal; o curto, porém polêmico governo de Jânio Quadros; a ascensão de João Goulart ao poder e o Golpe Militar de 1964; foram fatos marcantes daquela década.

No cenário cultural, os moradores de Três Rios não eram meros expectadores do que acontecia pelo país, na verdade, o desejo por espaços de expressão cultural contaminava as pessoas e a periferia tinha muito a contribuir, especialmente com o samba e o carnaval.

No mesmo bairro, em que existia a tradicional escola de samba Unidos da Caixa D’Água, importante entidade carnavalesca de propagação da cultura negra, surgia um grupo, formado por 35 amigos, que resolveu formar um bloco, só de homens, para brincar o carnaval.

Neste clima, surgia em 6 de janeiro de 1963, o bloco carnavalesco Bom das Bocas, que desfilou como bloco até 1971, quando foi elevado à categoria de escola de samba, estreando em 1972, apresentando o enredo "Riquezas Minerais", cujo samba de enredo é considerado um dos mais bonitos da escola.

Desde então, a agremiação se tornou uma forma de resistência, de preservação da memória coletiva e sociabilidade, como instituição propulsora do patrimônio imaterial local que sempre manteve seus portões abertos à comunidade com eventos pré-carnavalescos gratuitos como forma de democratizar a cultura.


Foto: Jonair de Christo

Ao longo desses 59 anos, a "nação verde e branco" passou por vários momentos difíceis e, em grande parte, de importante contribuição cultural para o município, por meio de seus desfiles marcantes e atividades realizadas desde a antiga quadra próxima ao pontilhão de acesso ao bairro.

Até hoje muitos ainda se lembram dos ensaios lotados e dos muitos carros estacionados ao longo das ruas adjacentes.

Ao todo, os boquenses, como são chamados os torcedores da escola, conquistaram 15 títulos desde a estreia como escola de samba: 1972, 1975, 1976, 1980, 1988, 2004, 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2018.


O saudoso artista e carnavalesco Wanderley Rodrigues (Foto: Revista Destaque 1981/ Arquivo ERJ)

Alguns dos títulos conquistados pela escola, são atribuídos a um dos grandes nomes do carnaval trirriense, o saudoso carnavalesco Wanderley Rodrigues, o Mestre Leley, artista de muitos talentos e até hoje ainda lembrado por seus enredos marcantes.


Junior Pernambucano conquistou seis títulos na escola (Foto: Reprodução)

Outro talentoso artista que ganhou muitos títulos pela escola foi o carnavalesco Junior Pernambucano, que chegou a comemorar seis títulos na agremiação sob sua chancela.

Presidente Otorino Bilheri (à dir.) e o vice Cleriston Carlos (foto/ arquivo: Divulgação da escola)
 

Atualmente, o Bom das Bocas é presidido por Otorino Bilheri e tem como vice-presidente, Cleriston Carlos.

Recentes problemas na quadra da escola, como atos de vandalismo e roubo, prejudicaram a agremiação, o que levou, por meio de uma assembleia composta por diretores, associados e simpatizantes, o anúncio de que o Bom das Bocas estaria fora do desfile das escolas de samba de 2022.

Porém, a Prefeitura confirmou no início de dezembro, que não seria realizado o tradicional desfile das escolas de samba na Avenida Condessa do Rio Novo por conta da pandemia de covid-19.

Mesmo com a notícia que deixou muitos boquenses e apaixonados pelo carnaval entristecidos, diretores da escola comentaram que em breve o Bom das Bocas estará retornando à Avenida Condessa do Rio Novo, com toda a sua beleza, luxo e tradição, marca registrada de suas apresentações nesses 59 anos de histórias.

Colaborou: Alcemir Juniorfull-width

Comentar

Postagem Anterior Próxima Postagem

Concer